sábado, 7 de janeiro de 2012

Está decidido: novo Caje será em Sobradinho II

Para impedir a construção da unidade de internação socioeducativa, moradores fazem um abaixo-assinado, que já tem 200 adesões; apesar das tentativas, governo do DF não vai mudar o local

Foto: Leonardo Arruda/247
Por Natalia Emerich

Em menos de um dia, 200 moradores do Condomínio Vale dos Pinheiros, na Área Rural Sansão, em Sobradinho II, assinaram um abaixo-assinado para impedir o início das obras da futura unidade socioeducativa de internação em um terreno vizinho ao do residencial. O prédio é um dos cincos programados pelo governo para substituir o Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje), localizado na 916 Norte.

Desde a noite de quinta-feira (5), um grupo de condôminos está recolhendo assinaturas cujo objetivo é impedir a construção. Eles temem pela segurança da região e afirmam que não foram consultados pelo governo. “Quando participamos de audiência pública, nos foi informado que construiriam uma escola técnica, agora vamos receber um centro de internação”, critica o síndico do condomínio, Erimar da Silva.

Silva afirma que a comunidade está tentando ao máximo reverter a situação, mas parece que o esforço é inútil. De acordo com o coordenador de articulação institucional da Secretaria da Criança, Lauro de Marco, não há o que negociar. “A área é pública e a unidade será lá, nosso objetivo é conversar com a comunidade e sensibilizá-la para o fato de que o problema social envolve a todos e de que as mudanças urbanísticas vão beneficiar a população”, justifica, citando que haverá melhorias na infraestrutura básica da região.

Segundo Marco, a unidade de internação de Sobradinho II receberá apenas adolescentes da cidade. “Em Sobradinho as ocorrências têm crescido mais do que em outras localidades e em muitos casos o interno é conhecido dos próprios moradores”, argumenta. O coordenador explica ainda que o Estatuto da Criança e do Adolescente deixa claro que a proximidade entre o centro socioeducativo e a residência do infrator contribui para a eficácia da reabilitação.

Os argumentos de Marco não convencem quem vive no condomínio localizado a menos de 10 metros do terreno escolhido para as futuras instalações. “Vamos ficar vulneráveis, quando houver fuga o primeiro esconderijo será o quintal das nossas casas”, argumenta o motorista Alfonso Struck Júnior, 51 anos. A ideia também não agrada a doméstica Maria do Socorro da Silva, 44 anos. “Me sinto desprotegida, ainda mais porque tenho criança pequena em casa”, teme.

Lauro de Marco esclarece que estatísticas comprovam o contrário do dito pelos moradores. “A gente sabe que onde tem unidade de internação o índice de criminalidade diminui consideravelmente”, diz. Segundo ele, infratores ficam inibidos com segurança reforçada na área. Ele enfatiza que as rebeliões são raras que os adolescentes não deixam a unidade sem autorização prévia de juízes.

Apesar dos argumentos, Alfonso Júnior está decidido a mudar de casa caso o centro de internação saia do papel. “Eu vou embora com a minha mulher e meus dois filhos, não quero correr riscos”, desabafa. “Sabemos bem que não existe socialização nenhuma, o que eles fazem é depositar humanos.”

Caje desativado

A construção das cinco novas unidades de internação socioeducativas tem como objetivo substituir o atual Caje, localizado na 916 norte, que vai ser desativado gradativamente até 2013. As regiões escolhidas para abrigar adolescentes em dívida com a justiça são Sobradinho II, Santa Maria, Brazlândia, São Sebastião e Gama.

A Novacap informou ao Brasília 247 na quinta-feira (5) que cada unidade vai ter capacidade para atender até 196 internos, 10 por casa. Mas, o coordenador de articulação institucional da Secretaria da Criança, Lauro de Marco, afirma que o limite dos abrigos é de 90 adolescentes. Na unidade do Gama, exclusivamente feminina, a capacidade cai para até 48 internas.

Dos cinco centros previstos, quatro estão em processo de licitação. O de Sobradinho II, alvo da polêmica, é o único que não foi licitado. A previsão é de que as obras comecem ainda este ano e que durem 11 meses. De acordo com a Novacap, as construções devem ser entregues à comunidade no segundo semestre de 2013 e custarão, em média, R$ 14 milhões cada – a do Gama vai custar aproximadamente R$ 11 milhões.

As ações fazem parte da reestruturação do sistema socioeducativo do DF. O coordenador de instituição da Secretaria da Criança informou que o governo do Brasil foi condenado internacionalmente pelas condições precárias do Caje. Segundo ele, o País não consegue captar recursos internacionais por conta dessa pendência.

6 comentários:

  1. pq eles nao colocam la no lago sul , pq nos temos q aceitar aqui

    ResponderExcluir
  2. DR Michel lutou e resolveu a situação da Fecal poderia resolver a situação dessas famílias de ponta de ruas de sobradinho 2 que vivem nesses barracos correndo risco incêndio e outras situação. o único representante que que ainda se preocupa com sobradinho é o Michel Paulo Tadeu virou as costa para os moradores de sobradinho Ate a Suely da vila rabelo que não estava em areá de risco foi privilegiada.

    ResponderExcluir
  3. Quero saber por que motivo vão desativar o CAJE da Asa Norte? Por que não fica onde está? Provavelmente, tem gente incomodada com ele por lá. Então, nada melhor que mandá-lo para as satélites. O argumento desse "Lauro Marco" não convence. Onde será que ele mora? Certamente não é em nenhuma das cidades que abrigarão os novos CAJE'S.Ninguém quer morar próximo a "presídios"! Todo mundo sabe como funcionam. Isso é muito autoritarismo do governo. Lembrem-se disso nas próximas eleições. Os envolvidos no caso e os que não estão envolvidos também. Como é o meu caso. Não moro próximo a esses lugares, mas poderia morar. E o governo não tem que ficar tomando decisões que interferem na vida da população, assim, da maneira que quizer. Tem que ouvir a voz do povo, sim. AUTORITARIOS!!!

    ResponderExcluir
  4. É O FIM..FUDEU TUDO...VAMOS BOTAR ESTA CONSTRUÇÃO NA CHON..RSRSR..É O GOVERNO LEVANTANDO E NÓS MORADORES DERRUBANDO!! SOMOS MAIORIA..VAMOS ARREGAÇAR AS MANGAS E MANDAR VER..CONSTRUA ESSE CAJE AO LADO DA CASA DO "" LAURO MARCO"" QUERO VER O QUE ELE VAI FALAR...TEM PROBLEMA NÃO GENTE, VAMOS BOTAR OS JOELHOS NO CHÃO E ORAR A DEUS..E ESSAS MÃES E PAIS QUE DEIXAM SEUS FILHOS SEM COMANDO NAS RUAS, É QUEM DEVERIAM SEREM PUNIDOS ,POR NÃO EDUCAREM QUEM ELES NUMA FODA MAL DADA COLOCARAM FILHOS REBELDES E ... NO MUNDO!!MAS QUANTO AO COMENTÁRIO DO COLEGA AI QUE DIZ QUE MICHEL VIROU AS COSTAS PRA SOB.II , EU DISCORDO ,POIS GRAÇAS Á ELE MUITOS MORADORES SO TEM A AGRADECEREM QUANDO ELE FOI UM EXCELENTE DELEGADO, SÓ QUE EXISTEM MAIS 23 DEPUTADOS NA CLDF QUE EM ÉPOCA DE CAMPANHA VEIO PEDIR VOTOS AIE QUE HOJE NEM SE QUER FZ NADA POR SOB.II OU FERCAL..PARABÉNS MICHEL PELO ESFORÇO E DEDICAÇÃO EM NOSSA REGIÃO.CONTE CONOSCO♥♥

    ResponderExcluir
  5. Sobradinho, assim como todas as cidades brasileiras, precisam mesmo é de mais escolas com professores mais preparados e bem remunerados; precisam de mais creches escolas e não abrigo para menores que o governo não se preocupou em ajudar as famílias a dar educação.A sociedade tem que acordar em quanto é tempo. Brasília já está criando seu próprio caldeirão de marginais nativos, por falta de uma política familiar . Abrigos para menores infratores é tapar o sol com a peneira. Querem uma ideia? Centralizem os "menores" em uma instituição escola e de ensino profissional específica, sem cara de presídio, com profissionais altamente treinados para esse objetivo, o que eu acho não ter nada a ver com o CAJE, segundo o que ouço. Assim, seria mais fácil controlar esse tipo de comunidade (menores infratores), a instituição os profissionais e a "verba". Agora distribuir colmeias, fica muito mais difícil controlar os enxames, não acham?!Do contrário meus amigos " me engana que eu gosto". Ah! político só existe prá isso, dar nome bonito a coisas que não funcionam (internação socioeducativa...kkkkkk) nome simpático, mas o sinônimo mesmo é inferninho.

    ResponderExcluir

Deixe a sua opinião sobre esta matéria. Ajude a sua cidade a ficar melhor!